Curso [re]memórias, c/ Andreas Valentin

 

De 29 de agosto a 17 de outubro

Terças, de 19h às 21h30

“Quem pretende se aproximar do próprio passado soterrado deve agir como um homem que escava. Antes de tudo, não deve temer voltar sempre ao mesmo fato, espalhá-lo como se espalha a terra, revolvê-lo como se revolve o solo”.(Walter Benjamin, “Escavando e Recordando”)

Soterrado sob memórias, nosso passado compõe-se de fragmentos desconexos que, como planos de um filme ou fotografias, precisam ser ordenados para lhes conferir sentidos e, assim, construir narrativas de vida. Essas imagens mentais, abstratas e enterradas, superpõem-se àquelas materiais, como objetos, documentos, textos, diários e, principalmente, registros fotográficos e fílmicos, colecionados por nós e por nossos antepassados ao longo de nossas existências.

O objetivo do workshop é revolver memórias, vasculhando acervos pessoais - fotografias e filmes analógicos e digitais, documentos, cartas e outros registros - e reconfigurá-los em uma proposta artística.

EMENTA:

1.  Apresentação da proposta, bibliografia e estudo de caso do próprio autor.

2.  Discussão dos textos sugeridos, apresentação e análise das memórias materiais dos alunos.

3.  Discussão dos projetos.

4.  Discussão dos projetos.

5.  Discussão dos projetos

6.  Apresentação dos projetos.

7.  Apresentação dos projetos

8.  Apresentação dos projetos

 

Carga horária: 20 horas

Investimento: R$640

Formas de pagamento:

- Cartão de crédito (em até 10x com juros)

- Boleto bancário

- Débito online

 

ANDREAS VALENTIN é fotógrafo, pesquisador e curador. Doutor em História Social (UFRJ), com uma pesquisa sobre a fotografia amazônica do alemão George Huebner (1862-1935). Mestre em Ciência da Arte (UFF) e graduado em História da Arte e Cinema (Swarthmore College, Pennsylvania, EUA). É professor-adjunto da UERJ e da Universidade Candido Mendes. Em 2014/2015 realizou pesquisa pós-doutoral no Instituto de História da Arte da Freie Universität, Berlin, Alemanha. Foi aluno e colaborador do artista Hélio Oiticica. É membro efetivo da Associação Brasileira de Antropologia que, em 2004, lhe concedeu o Prêmio Pierre Verger de Fotografia. Em 2015, foi vencedor do Prêmio Marc Ferrez de Fotografia da FUNARTE, com o projeto “Berlin<>Rio: Trajetos e Memórias”.